Don't Worry Be Happy!!!

Aditivando o corpo e a vida!!!

Aditivos e seus efeitos no organismo

 

Fonte: Relatório Orion – Denúncia médica sobre os perigos dos alimentos industrializados e agrotóxicos (1985)
Autor: Marcio Bontempo

Editora: LP&M

 

   Aditivos químicos alimentares
   Considera-se como aditivo alimentar toda substância ou composto incorporado a um produto alimentício, podendo ser considerado como Intencional ou Não-Intencional. No primeiro caso o aditivo é usado segundo um objetivo prévio, qual seja, o de impedir deteriorações (conservantes), manter o aspecto e a cor, intensificar o aroma, etc. No segundo caso, o produto químico existe em decorrência de um processo de fabricação, da manipulação, da embalagem e estocagem, existindo geralmente de forma residual. São considerados pelos técnicos da FAO como agentes contaminantes, pois resultam do uso de herbicidas seletivos ou gerais, pesticidas, adubos químicos, antibióticos, fungicidas, toxinas industriais, contaminantes metálicos, etc.
 

   Os Principais Aditivos Alimentares

   Aromatizantes: Ou flavorizantes representam os aditivos constituídos por substâncias ou compostos usados com o objetivo de intensificar o paladar e o aroma dos alimentos, ou conferir-lhes um sabor que não possuem..
   Corantes: São aditivos usados para dar cor ou realçar o pigmento. São usados principalmente para atrair a atenção, criando-se uma cor-imitação ou realçando uma cor natural, sem que possuam qualquer princípio nutritivo..
   Conservantes: São usados para manter os alimentos íntegros, manter-lhes o sabor e o aspecto.
   Edulcorantes ou adoçantes: A este grupo de produtos químicos pertencem as substâncias de sabor doce mas que não sejam glicídicas. Sendo assim, não determinam modificações químicas e fermentações específicas produzidas pelos adoçantes açucarados ou que contenham glicose, frutose, dextrose, etc. Os Edulcorantes mais usados são quase todos sintéticos, sendo os mais usados a sacarina e o Ciclamato de sódio.
   Antioxidantes: São aditivos usados pela indústria de alimentos para evitar as alterações provocadas pela oxidação, tais como a rancificação das gorduras (óleos vegetais, gorduras animais e carnes animais que contenham gordura) o escurecimento das frutas, a descoloração das carnes, e deteriorização por oxidação dos sucos de frutas cítricas, a modificação da cor de frituras em saquinhos plásticos.
   Estabilizantes e espessantes: São aditivos capazes de manter a densidade ou aumentar a viscosidade do alimento.
 

   Aditivos e seus efeitos no organismo
   Antioxidantes
– Acido fosfórico (H.III) – Aumento da ocorrência de cálculos renais.

– Acido nordihidroguairético (A. IV) – Interferência nas enzimas do metabolismo das gorduras.

– Butil-hidroxianisol – BHA – (A.V.); Butil-hidroxitolueno BHT-(A. VI) – Ação tóxica sobre o fígado, interfere na reprodução de cobaias de laboratório.

– Fosfolipídios – (A.VIII) – Acrécimo do colesterol sanguíneo.

– Gelato de propila ou de octila (A.IX) – Reações alérgicas, interfere na reprodução de animais de laboratório.

– Etilenodiaminote tetracetato de cálcio e dissódico – EDTA – (A.XII)-Descalcificação e redução da absorção de ferro.

 

   Antiumectantes
– Ferrocianeto de sódio, cálcio ou potássio (AU. VI) – Intoxicação nos rins.
 

   Acidulantes
– Acido acético em geral – Cirrose hepática, descalcificação dos dentes e dos ossos.
 

   Corantes
– Todos – (CI) (CII) – Reações alérgicas: alguns possuem ações tóxicas sobre o feto ou são terstogênicos, ou seja, podem fazer nascer crianças-monstro; anemia hemolítica; o caramelo, quando preparado de modo inadequado, pode conter substâncias capazes de causar convulsões.
 

   Conservadores
– Acido benzóico (PI) – Alergia, distúrbios gastrintestinais.

– Esteres do ácido hidroxibenzóico (P III) – Dermatite; redução de atividade motora.

– Dióxido de enxofre e derivados (PV) – Redução do nível de vitaminas B¹ nos alimentos; aumenta a freqüência de mutações genéticas em animais de laboratório.

– Antibióticos (oxitetraciclina, cloretetraciclina e outros) (PVI) – Desenvolvimento de raças de bactérias resistentes aos antibióticos; reação de hipersensibilidade.

– Nitratos, Nitritos (P VII) (P VIII) – Ao combinarem-se com as aminas de várias fontes alimentares, originam as nitrosaminas, que podem causar câncer gástrico e do esôfago.

– Éster dietilpirocarbônico (PX) – Formação de uretanos (carbonato de etilo, solúvel em água), que são cancerígenos.

 

   Edulcorantes

– Sacarina (DI) – Causa câncer na bexiga de animais de laboratório.
 

   Espessantes

– Em geral: Irritação da mucosa intestinal; ação laxante.
 

   Estabilizantes

– Polifosfatos (ET XV ET XI XVIII) – Elevação da ocorrência de cálculos renais; distúrbios gastrintestinais.
 

   Aromatizantes

– Em geral – Alergia; retardam o crescimento e produzem câncer em animais de laboratório.
 

   Umectantes

– Dioctil sulfossuccinato de sódio (U III) – Distúrbios gastrointestinais circulação pulmonar.

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s