Don't Worry Be Happy!!!

A realidade em cada um de nós!

A realidade em cada um de nós!

 

Cada um de nós constrói a realidade.

Acreditamos nela como se fosse a única.

Nos escravizamos em função de pensamentos e sentimentos.

Assim, nossa existência se torna limitada pelas nossas percepções.

Essas limitações podem ser momentâneas ou duráveis.

Prefiro acreditar que sejam impermanentes.

Transitórias e passíveis de transformações.

Isto representa minha dualidade.

Melhor assim do que enraizado em um único pólo, racional.

A diversidade se manifesta de diferentes formas.

E cada vez que abro os olhos o universo se mostra, e vice versa.

Dessa forma, desejos, pensamentos, sentimentos, entre outros se desvelam.

Comunicando ao mundo e as outros seres minha existência.

Comunicação limitada se nos posicionarmos numa perspectiva dicotomizada.

Expresso de diferentes formas minha inteligibilidade do real.

No entanto, a compreensão do outro pode ser limitada e limitante.

Esforço-me para superar tais condições, pois há uma interdependência entre nós.

O que o outro vê em mim, não necessariamente seja EU mesmo, minha personalidade.

Pode ser como uma imagem refletida num espelho.

Dessa forma, o que o outro vê nada mais é do que ele mesmo.

Autoimagem projetada na alteridade.

Espécie de exposição de si no outro.

Habilidade daqueles que evidenciam no outro as necessidades de transfomações no próprio EU.

Mas, no fundo não sou nada daquilo que o outro vê em mim, tudo ilusão.

Criação de nosso intelecto, aparato psíquico e sensorial.

A consciência, instância soberana do ser no mundo!

Conduz-nos diante das infinitas possibilidades.

E cada vez que abrimos os olhos a realidade se concretiza como materialidade.

Criamos os nossos caminhos, realizamos escolhas.

Somos guiados pelos desejos e pensamentos, nos equivocamos.

A mente que atordoadamente, incessantemente, mente, atroz-mente.

Mas, somos humanos, e, portanto, passiveis de equívocos.

Encontros e desencontros, alegria e tristeza, o divino e o profano, entre outras dualidades que expressamos.

Inexorável é o tempo que nos submete as sucessivas idas e vindas.

Transformamo-nos em uma sucessão de acontecimentos, memória viva, encarnada.

Tudo inscrito no corpo físico, sendo expresso por meio da corporeidade.

Agradeço minha existência e faço do meu viver uma grande sinfonia, um teatro.

Comédia, drama, suspense, ficção, tudo possível em minhas manifestações.

Num certo momento acontecerá o grande episódio, a transmutação, o epílogo da minha dimensão física.

Findar-se-á toda realidade empírica, retornarei ao silêncio, absoluto, encontrarei a paz eterna.

Reinará o AMOR incondicional que estou aprendendo a viver, concretizar e compartilhar.

Pois, sou apenas um canal de expressão dessa realidade divina.

 

Om Namah Shivaia!

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s