Don't Worry Be Happy!!!

Sem resistência…

Sem resistência…

Possivelmente dizendo que: estou resistindo, ou, se entregando.

No caso, se entregando!

Quem diz tem seus motivos.

No caso, especificando a resistência revestida de independência.

Meu insensível EGO diz: não sustentaria ninguém.

Afffff, mas isso é o cumulo do absurdo, a total cegueira.

Pois é, é sim.

O outro se entregando, e o EGO do outro rejeitando, negando.

O outro, que está cegado pelo EGO, impossibilita a percepção além de si.

O outro que é tão imaturo quanto o que cometeu o primeiro ato insano (a negação), retruca.

Afff, como as bocas falam sem saber o que dizem!

Assim é o mundo da dialética, tese, antítese e síntese, the end.

Mas para além das palavras encontramos outras expressões sensíveis.

No fundo, “sem resistência” carrega o simbolismo da entrega contido no desejo de comunhão.

Todo ser humano de alguma forma deseja tal condição.

Pois, mesmo sendo duro, um dia amolece, se entrega, fundi, “sem resistência”.

Experiência sublime que transforma nossas existências, entrega, devoção, assim foram muitos momentos.

Sou cego, mas também enxergo, sempre que saio da redoma construída pela minha percepção, alienadamente.

Affff, seres humanos dotados de tanta beleza, seres divinos, no entanto, limitados pela estupidez e mesquinharias individuais.

Olha que o lema é “sempre rir”, seja na tristeza, na pobreza, na alegria, na dor ou na doença ou qualquer outro estado psicológico, afetivo, emocional, mental, social, animal, entre outros.

Pelo menos rindo expressamos nossa felicidade, contentamento, alegria, espanto, e, as vezes, algo surreal.

Hoje posso dizer que: nem rindo, nem chorando, nem feliz, nem triste, nem prazer, nem dor, todos são dualidades.

Portanto, só existem como complementares, e, é impossível se manter em apenas um dos pólos, eles estão interconectados.

Assim tenho percebido que para além das dualidades manifestadas pela mente, sentidos e percepção, existe o infinito, DEUS.

Tal como o silêncio contemplado nas montanhas!

Ou, o abraço “sem resistência”!

Resquícios de outras dimensões, infinitas possibilidades.

Por meio dessas palavras comunico o que está no íntimo, talvez sem sentido para quem lê, mas uma revelação para mim.

A forma que encontrei de realizar terapias, o cuidado de si, a cura, a busca pela superação, transcendência das limitações.

Agradeço por me possibilitar romper com as limitações momentâneas, “sem resistência”!

Om Namah Shivaia!

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s