Don't Worry Be Happy!!!

Manifesto de pai – II

Manifesto
de pai II

Um dia encontros, no outro, desencontros, e, assim
os ciclos surgem sucessivamente.

Nada melhor do que a paciência para aguardar o
momento no qual podemos nos expressar plenamente.

Tarefa árdua, pois os sentimentos são como um
vulcão, hora ativos, hora adormecidos, quietos.

E nesses últimos anos tive que aprender a engolir e
digerir tudo aquilo que tem resultado das minhas escolhas.

Dentre elas, ser pai, uma jornada compartilhada com
Ariadne e Emmanuella, minhas queridas filhas.

Ambas me ensinam sobre a convivência e a
necessidade de adaptações constantes.

Em certos momentos os conflitos são colocados como
barreiras insuperáveis, mas são só momentâneos.

Pois tudo que vive está submetido às leis da
mutação, o eterno movimento de criação, manutenção e dissolução.

Os últimos dias tem revelado esse movimento, no
caso específico, minha relação com Emmanuella.

Hoje, não mais uma criança, mas uma menina buscando
construir seu espaço no mundo.

Uma menina cheia de vida que outrora foi uma
criança com a qual vivi momentos felizes.

Um Ser em desenvolvimento reconhecendo e
compreendendo a existência.

Estar junto dela foi surpreendente, pois, juntos,
contemplamos algo que temos em comum, o gosto pela dança.

Assistimos diversas apresentações de balé e dança
clássica indiana em São Paulo na Virada Cultural.

Dizer que seus olhos brilhavam enquanto os
bailarinos realizavam pax dedeux é
pouco.

Dois bailarinos realizando a coreografia ao som da
Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo.

Algo inédito não só para mim, mas para toda uma
platéia que se deliciava com aquele espetáculo ao vivo.

Em mim fluía algo tão intenso gerando calafrios e lágrimas
rolando sem cerimônias.

Tal como quando somos arrebatados em momentos
inauditos.

Êxtase indescritível, momentos nos quais somos
dissolvidos na totalidade.

Pois estando imersos e contemplativos somos
absorvidos, dissolvendo a ilusão de separação.

Uma espécie de contemplação estética,
transcendental.

Poder compartilhar esses momentos juntamente com a
Emmanuella foi um presente.

Vislumbrando expressão de felicidade e um lindo
sorriso em seu rosto.

Um encontro, momento de comunhão, e acima de tudo
expressão de Amor.

Dedicado a Emmanuella Seabra Ferreira


Om
Namah Shivaia!

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s