Don't Worry Be Happy!!!

Caçador de mim mesmo!

Caçador de mim
mesmo!

Por onde ando
contemplo a paisagem, os caminhos, tal como o artista faz com suas obras.

Ora crendo que
elas são perfeitas expressões de si mesmo, outrora, crendo que elas são apenas imaginações
sobre a realidade.

Poderia haver
maior engano sobre si mesmo do que aquele que duvida da própria existência?

Existência essa
que oscila entre deveres e devires, múltiplas dobras sobre si mesmo.

Uma espiral na
qual deslizamos por nossas escolhas, ou somos arrastados quando escolhidos, um
eterno fluxo do vir-a-ser.

Movimento de
criação, permanência e dissolução de si mesmos.

Enquanto busco
fora de mim a razão para existir vivo num labirinto, perdido, correndo atrás do
próprio rabo.

Se me volto para
o interior, me deparo com os fantasmas, as impressões, as memórias, tudo que me
impregna, intoxica.

Transitoriedades
que perpassam nossos corpos, múltiplas variações sobre si mesmos.

Limitando, formatando,
enclausurando o ser como um caramujo atado a sua casca.

O que fazer
diante das ambiguidades, dualidades e contradições?

Necessito exercitar
o silêncio, tomá-lo como um remédio para curar essas manifestações, apaziguando
os conflitos.

Apenas contemplar,
saboreando os gostos e desgostos, apegos e desapegos, encontros e desencontros.

Mas acima de
tudo crendo que somos muito mais do que podemos imaginar ou sentir, sempre em
busca da superação.

Unindo os
opostos, complementando, integrando, transcendendo as polaridades como quem
transgride os vícios, desobstruindo o caminho.

Ascendendo a níveis
mais elevados na espiral que estamos conectados, desvelando o que está oculto.

Vivendo cada momento
como o ápice de uma existência, única, sendo coroados pelo poder divino que nos
concede o viver.

Se situando na
plenitude dos sentidos, das emoções, dos pensamentos, lá onde não podemos mais descrever
o que acontece.

Pois as palavras
são limitadas, insuficientes para narrar o êxtase e o infinito poder de Deus,
Deusa que em nós se manifesta.

Encontro inenarrável
com a plenitude, sempre que possível, desejado e conquistado.

Pois só pode ser
realizado, vivenciado, por aqueles que se aventuram, mergulhando nas
profundezas abissais de si mesmo.

Om Shanti,
Shanti, Shanti!!!

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s