Don't Worry Be Happy!!!

Contemplar os desejos profundamente!

Contemplar os desejos profundamente!

Emanam do Ego, o ser, sendo, encarnando uma de suas infinitas manifestações.

Tal como uma flor desabrocha o Ego se manifesta.

Se mergulhar no que está além, onde eles são gerados encontrará algo surpreendente.

Eles, os desejos, são infinitos enquanto a mente que mente atua mente.

Eles existem, tem vida, são reais, vivos, mas acima de tudo transitórios, momentâneos.

Portanto, aceite-os como emanação do ser e busque admirá-los muito mais do que negá-los ou realizá-los.

Eles são como nuvens no céu, formam infinitas combinações, formas, significados.

Se estivermos atentos poderemos evitar de cair na eterna repetição como um alienado, sem saber do que se trata.

Com a prática constante da atenção dirigida para as origens dos desejos minimizamos as negatividades e frustrações.

Compreendemos que desejar á inerente a atividade mental, mas nem por isso precisamos ser escravos deles.

Que a consciência seja instância primordial nas escolhas, permanecendo incondicionada, ilimitada, livre.

Consciência observadora, contempladora, autônoma, nosso guia supremo.

Basta estarmos abertos para novas experiências, libertando-se das inseguranças e medos.

O Ego mesquinho é aquele que cria a necessidade de auto-afirmação constante.

Inexistindo ou sendo insuficiente a humildade para reconhecer as limitações originadas no e pelo Ego.

As distinções, divergências emanam nas superficialidades do ser, inclusive no Ego.

Portanto, superar as limitações originadas no Ego é tarefa básica para quem deseja desvelar camadas mais profundas do ser.

Para mim o caminho da contemplação e aceitação tem sido escolhido.

Algumas vezes sinto, desejo realizar austeridades, mas logo em seguida me desapego dessa idéia.

Aceito estar vivenciando uma condição limitada e limitante, e crio opções para poder superar essa condição.

Trabalho árduo, pois envolve o desapego, desconstrução, libertação dos desejos, sacrifício.

Ir além da zona de conforto que estamos habituados, condicionados, cercados.

Estar atento é isso, perceber o que está sendo gerado interiormente e o que estou expressando para o mundo.

Como estamos conduzindo nossos desejos e quais as consequências geradas por eles.

Hoje admiro meus desejos tal como admiro as paisagens por onde ando, criações do universo num momento singular.

Desejos compartilhados, compartilháveis, muito mais do que desejos egocêntricos.

Configurações possíveis emanando momentaneamente.

Om Gan Ganapataye Namaha!

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s